Blog Bitcasino

Criptomoeda

O futuro agora: criptomoedas podem se tornar o principal meio de troca mundial

O futuro agora: criptomoedas podem se tornar o principal meio de troca mundial

11/20/2019

As criptomoedas tomaram conta do mercado mundial. Juntamente com suas tecnologias, essas novas soluções trazem maior comodidade, menos burocracia e redução de custos com transações pela internet. Mas será que o futuro de Bitcoins, Litecoins, entre outras, é promissor?

Quais dados apontam para um cotidiano de uso das criptomoedas? Como os especialistas preveem o uso de moedas digitais por pessoas? Fomos buscar essas e outras respostas para você e reunimos todas as informações que encontramos neste artigo, para que você entenda como essas soluções inovadoras prometem revolucionar o que nós conhecemos por meios de pagamentos.

E, para tirar o melhor proveito do nosso conteúdo, a nossa recomendação é que você crie uma conta gratuitamente hoje mesmo. Afinal, temos dicas valiosas para quem deseja entender sobre criptomoedas e como usá-las da melhor forma possível. Portanto, uma vez que esteja pronto, é hora de se aprofundar em algo que pode mudar a sua vida.

Os números não mentem

Possivelmente você já ouviu matemáticos e estatísticos falarem a expressão “os números não mentem”. Essa frase geralmente é usada por quem deseja se referir ao fato de as estatísticas terem importância quando se trata de uma análise da situação presente. Ou então quando se fazem projeções sobre o futuro.

E, no caso das criptomoedas, essa expressão é muito bem-vinda. Isso deve-se ao simples fato de moedas digitais terem sofrido uma imensa valorização desde que começaram a ser negociadas. Mas há também outra estatística que ajuda a entender o potencial desses novos meios de negociações.

O volume das transações aumentou exponencialmente nos últimos anos, indicando que mais pessoas estão negociando-as diariamente. Como exemplo basta olhar os dados históricos de Bitcoins, uma das pioneiras no mundo das criptomoedas. A BTC, em 17 de novembro de 2010, tinha pouco mais de 430 transações registradas em um único dia.

Porém, a medida que o tempo foi passando e a popularidade da BTC foi aumentando, mais pessoas resolveram comprar essa criptomoeda, o que fez com que o volume de transações aumentasse. Isso levou a níveis como os que vemos atualmente, onde as Bitcoins estão com um número de negociações diárias ultrapassando a casa dos 200 mil.

Dados reforçam futuro promissor de criptomoedas

A capitalização de mercado é outro dado que analistas acompanham para entender o quão forte financeiramente uma criptomoeda é. As Bitcoins se destacam mais uma vez nessa estatística, sendo a primeira em termos de capitalização de mercado. No total, a BTC ultrapassou a casa dos 630 bilhões de reais.

Mas não são só Bitcoins que movimentam o mercado financeiro pelo mundo. Os contratos inteligentes da Ethereum ajudam a entender o caráter inovador das criptomoedas, já que a Ether (criptomoeda vinculada ao projeto) é a segunda em termos de capitalização de mercado, com mais de R$80.000.000.000 capitalizados até 2019.

Esses dados ajudam a entender que existe espaço no mercado para que as criptomoedas apresentem suas ideias inovadoras e novas pessoas possam comprá-las, na certeza de que farão um ótimo negócio. Afinal, a valorização de mercado é um dos principais atrativos das moedas digitais.


Valorização com segurança

Ao longo dos anos, diversos investimentos ofereceram ótimos rendimentos para seus clientes. Mas as criptomoedas foram um dos que mais beneficiaram seus investidores, com valorizações acima de 1.000% em menos de cinco anos. Ou seja, caso você tivesse investido R$1 real em BTC no dia 31 de julho de 2013, por exemplo, e resgatasse em 13 de dezembro de 2017, teria mais de R$16.000 reais em sua conta para o mesmo R$1 real que colocou.

Esse tipo de valorização é algo que o mercado de investimentos não está acostumado. Afinal, grande parte das opções para alocar o seu dinheiro, e vê-lo valorizar, estão vinculadas ao tesouro direto, fundos imobiliários, ou então ações. Mas um retorno acima de 1.000% é muito difícil de encontrar.

Há grande dificuldade em acreditar que essa valorização é realmente possível. Mas criptomoedas já provaram que isso acontece, sim, e que muitas pessoas já tiraram vantagem das ondas de alta ao longo dos anos. Os protocolos de segurança ajudam a dar credibilidade aos projetos também.

Criptomoedas usam tecnologia blockchain, a qual efetua transações usando códigos específicos. Essas combinações, por sua vez, ajudam a manter o sigilo de quem compra e quem vende uma moeda digital. E, consequentemente, não é possível ver o nome das pessoas envolvidas em uma negociação.

Além disso, as plataformas para guardar as criptomoedas (popularmente conhecidas como eWallets) são desenvolvidas com o máximo de segurança e permitem recursos adicionais, como a verificação em duas etapas. Esse é um diferencial que você nem sempre encontra ao usar sua conta bancária.

Toda essa valorização, capitalização de mercado, volume de negociações e segurança chamou a atenção de autoridades monetárias pelo mundo. Isso, por sua vez, fez com que criptomoedas ganhassem espaço em mercados financeiros já maduros, como, por exemplo, a economia dos Estados Unidos.

Países ajudam a gerar confiança

Alguns países já confirmaram que aceitam criptomoedas em seu território e já trabalham na regulamentação dessas moedas digitais. Um deles é o poderoso Estados Unidos que, mesmo tentando banir ou reduzir o uso de Bitcoins, teve que aceitar o fato de que grandes nomes como Dish Network, Microsoft Store e Subway começassem a usar esse serviço financeiro.

Para não ficar para trás, os Estados Unidos acabaram por categorizar Bitcoins como um serviço financeiro, o que reforçou a necessidade de que fossem feitas adequações para que as BTC pudessem ser usadas e negociadas no mercado norte-americano. Mas, no final das contas, o EUA acabou abrindo as portas para o uso das moedas digitais.

Os canadenses também adotaram o uso das criptomoedas, mas garantiram que essas soluções digitais não fossem usadas para lavagem de dinheiro. Bem como seu vizinho Estados Unidos, autoridades financeiras do Canadá consideram BTC como um serviço financeiro e exigem algumas regras para que ela atue no território canadense.

Outros exemplos como Austrália, e até mesmo países da União Europeia, como Finlândia, Bélgica, Reino Unido e Alemanha, também abriram seus mercados para criptomoedas. E, aos poucos, foram criando regulamentações que são necessárias para que as pessoas possam usar moedas digitais no mercado financeiro.

Meta de Dubai é ser referência em tecnologia blockchain

Uma parceria entre autoridades de Dubai e instituições de tecnologia tentam fazer com que a região dos Emirados Árabes seja líder de blockchain em 2020. Isso indica muito mais do que simplesmente uma estratégia por parte dos investidores daquela área, sendo um sinal para o mercado de criptomoedas como um todo.

A estratégia de Dubai para blockchain foi lançada em outubro de 2016, e a ideia é ser a primeira região alimentada pela tecnologia, que é a base das criptomoedas. Os empresários árabes pretendem investir pesado em startups e fomentar o desenvolvimento de aplicativos descentralizados.


O principal objetivo de Dubai é ter um governo eficiente e uma indústria de desenvolvimento bem estabelecida. Para isso, as autoridades pretendem aproximar pessoas que querem investir nessa nova tecnologia e empresas que oferecem novos serviços que permitam o uso das criptomoedas.

Enquanto trabalha para facilitar o desenvolvimento da região de Dubai em termos de blockchain, o governo dos Emirados Árabes busca criar uma regulamentação sólida, similar ao que países como China e Filipinas têm feito. Assim, quando se tornar realmente uma referência, a região terá leis que permitam a solidez do uso de moedas digitais.

Muito além de simplesmente ser referência em blockchain, o empenho de Dubai em se tornar referência no mercado de criptomoedas mostra muito mais do que a ambição de uma região. Isso é um indicativo de que existem muitas pessoas dispostas a investir nessa tecnologia ao longo dos próximos anos.

Grandes players entram no mercado

Além de autoridades internacionais, existem também grandes empresas do ramo da tecnologia que têm participado do desenvolvimento das criptomoedas no mercado. Um bom exemplo disso é a Visa, empresa de cartões que resolveu oferecer uma solução direcionada para seus clientes que possuem moedas digitais.

A Visa criou um cartão direcionado exclusivamente para quem tem Bitcoins e pretende gastar, tornando fácil o uso dos recursos que estão em criptomoedas. O sistema é muito simples, e exige uma senha para que você consiga concluir a sua transação, algo bem parecido com os cartões de crédito ou débito que estão presentes no mercado atualmente.

Esse tipo de solução vai muito além de simplesmente ser mais um cartão no mercado, pois isso evidencia a aproximação entre compradores e vendedores, reduzindo esse mito de que criptomoedas são usadas somente no mercado de tráfico de drogas ou então por pessoas que lavam dinheiro.

Mas não foi só a Visa que resolveu investir recursos em desenvolvimento e marketing para participar do mercado de criptomoedas. A sul-coreana Samsung fechou uma parceria com a TRON (TRX) para começar a ofertar aplicativos descentralizados em uma loja de apps diferente do que a maioria dos usuários estão acostumados.

Parceria da TRON e Samsung traz segurança ao mercado de apps

Um dos grandes responsáveis pela disseminação das criptomoedas é Justin Sun. O criador da TRON está buscando parcerias com grandes empresas, objetivando não só desenvolver a TRX no mercado, mas também reforçar a sua credibilidade com marcas conhecidas e que já têm espaço na economia mundial.

O caso mais recente foi a Samsung. A empresa da Coréia do Sul, uma das referências em termos de dispositivos eletrônicos, entrou em acordo com a Fundação TRON para que os seus usuários tivessem acesso à tecnologia blockchain da TRX quando buscassem o desenvolvimento de aplicativos descentralizados.

Amazon também entra no mercado

Outra gigante do mundo digital, a Amazon, não disse aceitar oficialmente Bitcoins em seu mercado, mas permite o uso de criptomoedas para compras de cartões de presente por parte de seus clientes. Isso, por sua vez, permitiria aos consumidores que comprassem produtos usando moedas digitais, mesmo que elas não tenham sido aprovadas de maneira oficial.

Essa mudança também impacta completamente o mercado das criptomoedas, já que a Amazon é referência quando se fala em vendas pela internet. E é mais uma evidência de que Bitcoins, Litecoins, Ethereum, entre outras, são ótimas opções para quem pretende investir em uma nova era.

Mas não é simplesmente pela comodidade que todas essas empresas estão abrindo suas portas para criptomoedas. Pois, a grande realidade, é que existe um ambiente seguro e passível de regulamentação, o que faz com que diversas autoridades e empresas tenham mudado sua perspectiva com relação a esse novo meio de pagamento.

Segurança e controle atraem autoridades

As criptomoedas foram muito além de meios de pagamentos digitais, criando um cenário no quesito segurança de transações e privacidade de dados. O uso de Bitcoins, por exemplo, para transferir recursos entre uma pessoa e outra, permite a quem transfere não ser identificado, e o mesmo é válido para quem recebe.

Ou seja, pessoas podem transferir recursos sem precisar informar seus dados. Além disso, não é necessário que nada seja aceito ou processado, já que a transação acontece diretamente dentro da plataforma de negociação da criptomoeda que se está usando. Isso tende a tornar o custo da transação menor, quando comparado aos métodos tradicionais.


Mas, além desse custo menor, existe também a segurança. Pois, com a tecnologia blockchain, é muito mais difícil que hackers ataquem a base de dados de alguma criptomoeda e consigam informações dos clientes, ou então acesso aos recursos, como algo que já aconteceu com pessoas e suas contas bancárias tradicionais, por exemplo.

A maior dificuldade em identificar métodos pelos quais é possível hackear uma conta de criptomoedas, e a privacidade das transações, são outros fatores que atraíram muitas pessoas para esse mercado. Mas as autoridades ficaram muito mais interessadas quando descobriram que é possível gerenciar a oferta de moeda usando esse novo recurso.

Afinal, qual é o futuro das criptomoedas?

A grande verdade é que qualquer moeda leva um tempo até ter maturação no mercado e ser aceita na economia. Em um passado recente, os brasileiros tiveram reajustes em seu meio de troca e viram a desvalorização tomar conta no início dos anos 90, com a grande inflação que tomou conta dos preços.

O reajuste do governo da época permitiu que a economia fosse novamente colocada nos eixos, e o Brasil pudesse se desenvolver. Podemos ter o mesmo pensamento para as criptomoedas, pois é normal que elas elas levem um tempo até que autoridades monetárias regulamentem e permitam sua utilização.

Grandes economias já abriram as portas para as criptomoedas. Isso evidencia que existe um futuro promissor para esse meio de troca em mercados emergentes, como o Brasil, por exemplo. Apesar de não tornar ilegal o uso de Bitcoins, o governo brasileiro ainda não tem leis que sirvam para regulamentar esse tipo de serviço.

Mas o Brasil tem bons exemplos de países que fazem isso, o que ajuda a ter uma base legal para, quando necessário, as autoridades brasileiras intervirem na economia, regulamentar e tornar mais aplicável o uso de Bitcoins pelos cidadãos. E isso é um dos elementos que ajuda a entender o futuro de criptomoedas para os brasileiros.

Futuro promissor em valor de mercado

Bem como o Brasil, outros países também ainda não têm leis para que criptomoedas possam ser usadas. Mas o exemplo de economias maduras e países de renome ajudam a dar suporte para o futuro dessas moedas digitais, as quais prometem ter um valor de mercado ainda maior, caso sua procura aumente.

Cidades como São Francisco, nos Estados Unidos, Vancouver no Canadá, e Amsterdã na Holanda, estão entre as primeiras em números de usuários de Bitcoins. E grandes capitais brasileiras, como Rio de Janeiro e São Paulo, ainda têm muito espaço para que criptomoedas possam se desenvolver.

Como qualquer moeda na economia, quanto mais ela é procurada, maior será sua valorização no mercado. Como a população brasileira ainda tem muito que aumentar sua participação em criptomoedas, possivelmente o seu valor ficará maior, o que significa rendimentos financeiros para quem já está alocado nela.

Quanto antes você entrar em uma moeda, e mais ela valorizar, maior será o seu rendimento. E nas criptomoedas não é diferente, pois essas moedas digitais já provaram que conseguem apresentar ótimos rendimentos, como o de 1.000% que apresentamos anteriormente, o que pode acontecer novamente, a qualquer momento.

Todo esse cenário de criptomoedas é, para os brasileiros, uma ótima perspectiva sobre o futuro das moedas digitais em território nacional. Pois, apesar de ainda não ser regulamentada, existem plataformas online que oferecem o serviço de compra e venda de BTC, LTC, ETH, entre outras opções, e é importante ter em mente que comprar Bitcoins não é ilegal no Brasil.

Diversificação ajuda a diluir riscos

Como qualquer investimento, criptomoedas também têm risco. Afinal, existe uma chance, por mais remota que seja, de que investimentos em moedas digitais possam sofrer desvalorização com o tempo. Ou então que uma grande crise afete todo o setor de finanças mundial, inclusive Bitcoins, por exemplo.

Mas existe um velho ditado que diz para as pessoas ‘’não colocarem todos os ovos em uma mesma cesta’’. Trocando em miúdos, isso significa dizer que você deve diversificar seus investimentos, não apostando tudo em um único negócio. Assim, você acaba diluindo seu risco e aumentando suas chances de se dar bem em diferentes setores.

Então nada melhor do que as criptomoedas para entender isso. Afinal, a Bitcoin é diferente da Ethereum, que é diferente da Litecoin, e assim por diante. Então, quando você decide comprar BTC, por exemplo, estará alocando dinheiro em moedas digitais. Mas ao invés de colocar tudo em Bitcoins, você pode diversificar.

Ou seja, ao invés de comprar tudo em Bitcoins, é possível comprar um pouco de TRON, por exemplo, o que significa dizer para você não arriscar tudo em uma única ‘’cesta’’. Assim, você diversifica seus investimentos e mantém as suas chances de se dar bem, caso um desses projetos exploda.


Isso já foi verificado outras vezes na história, com as altas de BTC e ETH no mercado. Quem entrou em ambas, pode experimentar valorizações acima da média de opções de investimento comuns, como ações, poupança, títulos públicos, entre outros, e conseguiu entender como esse mercado digital funciona.

Site oferece vantagens para depósitos em criptomoedas

O fato de as criptomoedas terem um futuro promissor já é mais do que um motivo para que as pessoas procurem investir seus recursos nelas, mas o Bitcasino oferece algo ainda melhor. Você pode realizar depósitos em Bitcoins, por exemplo, dentro da plataforma, e usufruir de jogos com prêmios.

Essa é a grande vantagem e o diferencial do Bitcasino. Nele é possível fazer um depósito usando criptomoedas, manter a sua privacidade e conquistar prêmios ao participar de jogos clássicos, como roleta, blackjack, máquinas caça-níqueis, entre outros. E isso tudo sem que você precise esperar dias.

Afinal, as transações usando criptomoedas geralmente são processadas em segundos, pois não há intermediário. Isso facilita a disponibilidade do dinheiro em conta para jogos, permitindo que o jogador acesse mais facilmente seu saldo e consiga participar de rodadas que estejam oferecendo grandes prêmios.

O cassino online é uma ótima opção para diversificar suas apostas em criptomoedas. Pois, além da valorização de mercado, suas moedas ainda ficarão guardadas com segurança e poderão ser usadas para adquirir prêmios acumulados de máquinas caça-níqueis, por exemplo, os quais estão disponíveis na seção de jackpots.

Todo esse cenário promissor para que o Brasil faça parte do mundo das criptomoedas, e suas projeções futuras extremamente favoráveis, fazem das moedas digitais ótimas opções para quem deseja investir e, além disso, poder garantir que seu dinheiro estará em segurança e se divertir.

Bem como o mercado acionário, investir em criptomoedas envolve risco, mas você pode tornar essa experiência muito mais interessante, desde que faça boas escolhas e busque entender qual projeto condiz com o que você acredita. Uma vez feito isso, é hora de se juntar aos mais de 36 milhões de pessoas em todo o mundo, as quais já estão participando dessa mudança financeira que as moedas digitais estão criando.

Palavras: Sean McNulty
Imagens: Shutterstock

Categorias

Postagens recentes

SEJA SORTUDO ONDE QUER QUE VOCÊ VÁ

SEJA SORTUDO ONDE QUER QUE VOCÊ VÁ

12/3/2019
Blog
Criptomoeda
O futuro agora: criptomoedas podem se tornar o principal meio de troca mundial
Sobre Bitcasino

Bitcasino.io pertence e é operado por mBet Solutions NV (Kaya Richard J. Beaujon Z/N Landhuis Joonchi II Curaçao). É licenciado e regulado pelo Governo de Curaçao sob a licença 1668/JAZ.

English日本語РуccкийPortuguês中文Español한국어DeutschFrançaisภาษาไทย